FaeNet
10 minutes reading time (2079 words)

Alto das Fadas. Em que ponto estamos.

IMG_4943

*** versão em [English] [Español] [Française] [Nederlands] disponível

 

Yoohoo querida tribo internacional de fadas!

Como alguns de vocês já devem ter ouvido, no último ano, um grupo de nossa tribo internacional tem estado ao serviço da comunidade em busca de um novo espaço para o santuário no sul da Europa, com missões de reconhecimento que ocorreram extensivamente entre as belas terras de Espanha e Portugal.

Bem, reúna-se queridos! É que os planos desenvolveram-se muito rapidamente e temos muito a compartilhar e celebrar convosco!

A aventura começou no início deste ano (2018) em maio, quando um grupo de fadas, sob mandato e parcialmente apoiado por doações da comunidade, partiu numa primeira viagem para explorar as oportunidades potenciais de santuário na região. Informações e inspirações foram trazidas de volta daquela viagem e alimentadas no 'New Sanctuaries Gathering' em junho em Folleterre, com uma nova reunião em setembro das 'Radical Faeries of Europe and Neighboring Lands' na Normandia consolidou-se a intenção de estabelecer um santuário na área. A partir daí, em novembro, várias faeries inspiradas realizaram um pequeno encontro no Cortijo Verde nas montanhas andaluzas - as diferentes energias e perspectivas envolvidas influenciaram a trajetória da busca numa nova direção - em vez de revisitar propriedades exploradas na primeira viagem inaugural, focalizou-se nas  oportunidades que emergiram na região, e estas foram vistas também de acordo com a busca por um novo espaço no sul da Europa.

E como a magia de fadas o faz, dez da nossa intrépida tribo tropeçaram pela terra feérica da Quinta da Sancha - um exuberante vale virado a sul em Portugal, com vista para a aldeia de Sortelha que fica a 2 km de distância. Quando o grupo pisou nesta terra para explorar o seu potencial como um novo espaço de fadas, a experiência foi tangível. Ao contrário dos outros lugares visitados nesta viagem, a terra parecia poderosamente conectada e viva.

A experiência deste lugar e o seu apelo profundo ao coração levaram ao início do Alto das Fadas, um espaço novo e sagrado que oferece tantas possibilidades, muitas das quais ainda estão por negociar, sonhar ou descobrir.

 

O caso do novo santuário em Portugal.

Folleterre, até agora o único santuário de fadas europeu, perto de Lure na França, tem sido um lugar de muita magia e cura para a nossa tribo há alguns anos. Recentemente, com a perícia de fadas mordomo, os pagamentos de hipotecas foram concluídos, o que significa que Folleterre continuará a ser um centro e um retiro para a nossa comunidade por muitos anos. Infelizmente, o clima de Folleterre e a infra-estrutura limitada significam que o santuário pode acomodar reuniões apenas por uma janela de tempo limitada durante o ano. O clima mais ameno do Alto das Fadas oferece uma oportunidade para a comunidade se aprofundar no outono e durante o inverno; encontrar casa com a tribo quando é mais necessário. O Alto das Fadas também pode fornecer um ponto de encontro para reuniões cara a cara e de coração a coração dos mordomos de Folleterre e para reunir os organizadores durante o inverno, em preparação para as actividades dos anos que seguem.

De fato, o verão de 2018  foi uma lição importante para a nossa comunidade. As condições meteorológicas deste ano significaram que Folleterre enfrentou uma grave escassez de água que foi estressante para todos os envolvidos. Muito trabalho tem sido feito na terra para se adaptar a esses números crescentes em termos de uso de maquinário para criar novos espaços para campismo e há planos para melhorar as comodidades básicas, como a criação de casas de banho maiores. No entanto, fundamentalmente, questões de recursos como um suprimento limitado de água, especialmente no verão, significam que à medida que a comunidade cresce, nos tornamos mais intensivos em recursos e extrativistas - afastando-nos do princípio ecológico de preferimos pisar levemente a terra. Além disso, o aumento no número de fadas em reuniões importantes ao longo do ano também está começando a afetar a capacidade emocional e os recursos da família Folleterre.

O sentimento geral parece ser que, em resposta a estas circunstâncias e para acomodar a nossa comunidade em rápido crescimento, novos santuários em toda a Europa são uma prioridade, se quisermos nutrir e dar espaço para que esta magia cresça. A acessibilidade dos terrenos na região, a beleza dos espaços naturais e o excelente clima fazem de Portugal uma oportunidade para concretizar esta visão co-criada. Nesse sentido, não nos estamos aproximando do Alto das Fadas como alternativa ao Folleterre. Por enquanto, pretendemos que o primeiro ano de estadia na terra do Alto das Fadas seja como uma experiência - para observar a química que temos como a comunidade, com a terra e a região. O Alto das Fadas será um espaço sagrado onde poderemos dançar com a energia de como de um novo santuário se trata-ses, um lugar autônomo da sua irmã mais velha Folleterre. Pretendemos que o Alto das Fadas abra um ponto nodal na região onde a cultura das fadas pode crescer - atraindo e incentivando outras fadas da região para o rebanho e a intenção de criação de um santuário na região. Além de fornecer uma base onde outros espaços possam ser explorados, caso na conclusão de um ano na terra do Alto das Fadas prove que ela é inviável para o próprio santuário. Por fim, o Alto das Fadas proporcionará um espaço aberto ao longo do ano que permitirá uma nova dinâmica comunitária, com a qual podemos aprender, desenvolver e crescer.

 

A terra: Alto das Fadas.

Alto das Fadas possui uma área de 15 hectares e está localizado na região da Beira Alta em Portugal, a uma curta distância da Serra da Estrela (maior montanha de Portugal a 2000m acima do nível do mar e reserva natural protegida) e da Serra da Malcata (outra área natural protegida onde ainda se encontra o lince ibérico). Este terreno ondulante fértil é abundante em água e suporta um microclima favorável à agricultura.

Em termos de infra-estruturas e instalações, a casa principal pode dormir de dez a doze fadas imediatamente - e com um pouco de conserto nas outras dependências, poderá alojar muitas mais. Há também comodidades disponíveis no edifício principal, como chuveiro e banheira. Geralmente, as dependências são bem construídas e a lareira na casa principal significa que a propriedade ficará quente e livre de relento durante a noite para boas noites de sono.

Os campos que  cercam a propriedade são perfeitos para acampar e mais abaixo as múltiplas barragens de água do vale estão protegidas por comunidades de árvores. Como podes ver nas imagens, a propriedade e a terra têm muito caráter e, com uma dose de pós mágicos e espíritos de fadas, tornar-se-á um lar em pouco tempo.

O plano:

As negociações estão em andamento com o senhorio da Quinta da Sancha há algumas semanas. Simplificando, em vez de fundos comunitários ou de uma estrutura legal e devido a limitações de tempo, o nosso círculo de mordomos interinos decidiu aproveitar a oportunidade de alugar o imóvel. Um pequeno número da equipe procedeu como signatários do contrato inicial. Esta é uma medida temporária, enquanto o nosso trabalho para formar uma cooperativa para representar a comunidade em Portugal for bem sucedido, e os fundos comunitários estiverem dispostos a assumir o contrato a longo prazo.

O contrato começa oficialmente em fevereiro de 2019 e permite-nos alugar a quinta por até 7 anos (com a oportunidade de desativação após o primeiro ano) e comprá-la no futuro, caso ela seja adequada para um santuário permanente. O proprietário acordou um aluguel limitado de € 550 por mês por um período de dois anos, com a oportunidade, caso a comunidade escolha, de negociar o preço de compra das terras de 250.000€ depois que o prazo terminar. Alugar a propriedade antes de comprá-la dá-nos a oportunidade de entender e cultivar nosso relacionamento com a terra, ecologia e cultura - e entender o que acontece para encontrar, prospectar, desenvolver e estabelecer um santuário como comunidade, com um risco financeiro mínimo. Se o Alto das Fadas atinge o objetivo a longo prazo ou não, o tempo que gastamos com ele e com o outro será bem gasto, evoluindo as nossas habilidades e visões no espaço do coração; fortalecendo nossa capacidade de encontrar um novo santuário numa terra nossa abençoada. Mas, em última análise, esse novo espaço dependerá da ajuda e contribuição da comunidade para ser uma oportunidade sustentável nos próximos meses.

 

Indo avante:

Então fada, vamos a negócios! O Alto das Fadas precisa de ti!

Estamos atualmente lançando uma campanha de angariação de fundos, por favor, tem paciência conosco, pois estamos a reunir todo o material de qualidade necessário para que isso seja um sucesso. Sumamos alguns números e calculamos que precisamos de cerca de 20 000 € para tirar o santuário do solo e tornar real o primeiro ano do nosso espaço de fadas nas montanhas de Portugal. Podes ver a discriminação desses custos aqui.

Mas, enquanto isto acontece, há outros aspectos do projeto para se empolgar e outras maneiras de ajudar. Confere alguns dos links abaixo e vê o que te agrada!

  1. Por favor, visite nossa nova plataforma de financiamento, onde tu poderás doar para o Alto das Fadas.
  2. Podes conferir a descrição do terreno, fotos, vídeos e acompanhar as últimas atualizações sobre o desenvolvimento do santuário em faenet, que pretendemos ser o principal portal de informações relativas ao Alto das Fadas, dado que é criado e mantido pela nossa comunidade.
  3. Se desejares ajudar de maneira prática e quiseres juntar-te a um dos grupos de trabalho, por favor, contacta os administradores aqui:
  4. Se quiseres continuar a utilizar o FB, podes visitar o grupo “Southern Sanctuary Search”.

Respondendo a algumas preocupações da comunidade:

Temos escutado em grupo alguns dos comentários sobre as notícias do projeto Alto das Fadas que influenciaram nossas discussões em andamento. Achamos importante responder brevemente a alguns desses pontos.

Muitos sonhos, uma visão:

Aqueles de nós envolvidos com o projeto Alto das Fadas reconhecem que existem várias visões e intenções diferentes para um novo santuário no sul, bem como idéias sobre as diferentes qualidades e tipos de espaços de fadas que podem ser imaginados e manifestados em toda a Europa. A visão de mais um santuário na Europa é rica e plural. De fato, existem vários grupos e fadas individuais cujas idéias, sonhos e visões se cruzam e, em certa medida, divergem. Não desejamos que o projeto Alto das Fadas concorra com outras idéias de espaço e santuário - nem as ultrapasse.

Somos um grupo de fadas comprometidas e conectadas pela intenção de um novo santuário que estiveram envolvidas em diferentes estágios dessa jornada em desenvolvimento nos últimos anos. Encontramos um ponto comum através de reuniões realizadas em espírito de fada e viagens por estradas que impulsionaram a uma visão compartilhada. Investimos tempo, energia e outros recursos para tornar o Alto das Fadas uma realidade para a comunidade e pretendemos que seja um processo em evolução, aberto a ser moldado por qualquer pessoa dentro da comunidade que o tenha chamamento no coração para participar.

Voltando ao coração:

Aceitamos que a agitação em torno de Alto das Fadas possa parecer uma ruptura ou descontinuidade em relação a alguns dos trabalhos e planos estabelecidos pela busca inicial por um santuário no sul da Europa que ocorreu em maio / junho de 2018. A busca por fadas por terras não foi homogênea - na verdade, foi mais amorfa. Idéias, perspectivas e energias diferentes em um contexto de capacidades, recursos e rotatividade diferentes significaram um resultado aparentemente divergente do inicialmente previsto nas costas das propriedades descobertas na Espanha no início do ano. Esta tem sido uma curva de aprendizagem para muitos de nós e estamos no processo de criar um espaço no coração para desfazer algumas dessas frustrações e tensões que surgiram a partir desta situação. Escusado será dizer que, enquanto algumas ações podem ter sido precipitadas ... ou mesmo desajeitadas ... elas foram movidas por pura intenção.

O imperativo colonialista? Ou apenas espaço queer?

Tem havido alguma discussão dentro da comunidade sobre se o projeto Alto das Fadas representa algum imperativo colonialista das fadas do norte. Estamos ouvindo e a questão é informar a nossa ética e abordagem à cultura do projeto. Nós também sentimos que, como uma área sensível de discussão com pontos de vista e posições variadas entre as muitas fadas envolvidas na busca de refúgio, essa é uma questão a ser descompactada offline com uma comunidade, no espaço da comunidade.

Alto das Fadas. Stand van zaken.

Related Posts

 

By accepting you will be accessing a service provided by a third-party external to https://faenet.org/